quinta-feira, 13 de agosto de 2009

EUA e Brasil: no meio do abismo

Well, well, well... eu falei que estava sem assunto pra postar, mas olha eu aqui de novo, hehe.

É que, desde que eu cheguei, muita gente tem me perguntado quais as maiores diferenças entre os EUA e o Brasil, do que eu sinto falta, o que tem lá que não tem aqui, o que tem aqui que não tém lá, e blá blá blá blá. Por mais cabeça aberta que vc seja e por mais que haja um abismo social, econômico, financeiro, ideológico e etc entre dois lugares tão diferentes como o Brasil e os EUA, é inevitável fazer comparações entre o seu país e o país em que vc vai passar 1 ano (ou 2, ou mais) morando. E como não dá pra generalizar tudo, ainda mais pq eu não morei no BR inteiro nem nos USA inteiro, aí vai o balanço da minha análise capenga entre São Paulo e New York City (pq comparar SP a Maplewood é covardia, hahaha).

- Transporte público: oh, céus, o transporte público. A razão que me faz percorrer os classificados na web todos os dias, procurando um apê pra sair de Santo André e vir de vez pra Sampa. Ok, o metrozão em NYC pode ser infernal durante a hora do rush (sim, eu já peguei mais de uma vez), mas aquele lance de pegar o trem dos suburbs pra NYC e ir sentadinho e confortável, sem virar um pão de forma no fim da viagem é muito magia Disney... Bem que poderiam transferir o conforto do trecho Maplewood - Penn Station pro Santo André - Estação da Luz. Tá, eu sei, é pedir demais... hehehe. Além disso, as estações de metrô de NYC podem ser feias, sujas e perigosas, mas a funcionalidade de cruzar a cidade INTEIRA de metrô é priceless.

- Boas maneiras e educação: um dia eu não me seguro da vontade de dar um peteleco em quem diz que "americano é tudo educado, brasileiro que é um bando de tosco sem-educação". Bom... o que eu tenho a dizer é: educado é quem tem família em casa pra falar o que é certo e o que é errado, ensinar a dizer os "por favores", "obrigados" e "com licenças" da vida -- e pra isso, não importa a nacionalidade. Gente grossa e gente gentil e bem-educada tem em todo canto do mundo. Até no Brasil, sabia?

- Violência e segurança: taí um tópico pra lá de polêmico. Mas vou ser curta e grossa: você não abre seu laptop, alegre e faceiro, em plena praça da Sé pra trabalhar -- do mesmo jeito que você não faria o mesmo num banquinho de praça no meio do Bronx, certo? É claro que a sensação de segurança que se tem em NYC é bem maior, afinal, os cops estão por todos os lados e realmente repreendem os ladrões, enquanto aqui no Brasil... bom, vcs já sabem. E essa é a maior diferença, porque lugar perigoso e barra pesada, assim como lugares tranquilos e agradáveis, existem desde a Guatemala até a Escócia.

- Saúde: Ok, a situação da saúde pública no Brasil é alarmante, quem não tem plano de saúde se ferra, etc, etc, etc. Mas o tio Sam também não é tão bonzinho com quem precisa ir ao médico e não tem assistência privada -- o que, nos EUA, é muuuuuito mais caro do que no Brasil, é só acompanhar as manchetes sobre os planos de Obama para a saúde. Vou sair um pouco do eixo NYC - SP pra falar rapidinho de um causo que aconteceu nas minhas férias na Califórnia. A Amanda, que foi comigo, teve uma infecção braba no olho enquanto estávamos em Los Angeles, e fomos correndo pro hospital mais próximo. Depois de passarmos 6 horas esperando durante a madrugada na fila da emergência (irônico, né?), saímos de lá sem atendimento -- além disso, fomos tratadas pior do que o mosquito do cocô do cavalo do bandido. Engraçado que, se eu trocasse "Los Angeles" por "São Paulo" ou "Rio de Janeiro", ninguém se surpreenderia...

- A 5a avenida que me desculpe, mas eu sou bem mais a Oscar Freire. ;-)

Ok, essa foi uma análise beeeem capenga e superficial, mas são só algumas das impressões que eu tive e que eu queria compartilhar com vcs. Concorda? Discorda? Ótimo, adoro ouvir opiniões diferentes das minhas.

Conhecer um outro país ou morar nele não é só tirar milhões de fotos com pontos turísticos, encher a mala de eletrônicos e roupas de marca e voltar dizendo que o Brasil é uma merda. Pra não correr o risco de virar aquele mala que só reclama do Brasil e diz que "vida boa mesmo é no estrangeiro", tente observar tudo com olhar crítico e ponderar as coisas.

Não estou dizendo que o Brasil é um paraíso (tá longe de ser), mas os EUA também não é. Muita au pair se deslumbra com a vida que se tem aí, mas lógico, au pair mora nos suburbs, normalmente em lugares tranquilos, numa casa enorme e linda, com carros na garagem e um padrão de vida top. Mas junte A com B: alguma coisa daquilo ali é seu? Éééé... não. Agora, tente viver nos EUA com o salário que vc tem aqui no Brasil e veja o que vc consegue. Com sorte, o Bronx te espera de braços abertos. ;-)

Beijo pra quem fica!

5 comentários:

Cori disse...

hahahahahah O Bronx te espera de bracos abertos foi claaaaassica!!! Adorei teu post Mari, e' mais ou menos isso que vou escrever no meu blog tb.
Nao e' pq compro na Guess aqui, que vou morrer por voltar a comprar na C&A e Renner, onde comprei minha vida inteira.

Au pair deslumbrada e' F***

bjss

***Carol *** disse...

Boa mari!!! Superficial ou nao sua analise eh a mais pura realidade e eu como quase ex-aupair depois de 14 meses aqui, assino embaixo!!!!
Bjaoo

Paula disse...

Ainda assim, precisa d mtaaaaa sorte p/ o Bronx hein?1! rs Adorei as comparacoes, nao discordo... Bjao

Penny Lane disse...

muito boa analise. e vc tbm é de santo andré! ou ja foi pra sp? o trenzão é cruel mesmo, em qse qlqr hrario, qse qlqr dia...e olha q vc nem comentou dos vendedores, pedintes etc etc...
bjo! parabens pela conclusao do legado au pair =)

Cidilan Silva disse...

olá Mari,
Adorei o modo como escreve... Por isso, gostaria muito de trocar link contigo. www.cidy-esminhavida.blogspot.com

E concordo com você, sim. Perfeito as suas comprações. E existem muito mais coisas para serem ditas em seu blog. Por isso nunca faltará o que escrever... basta pensar nos momentos 'xs' da vida e tu verá que tem é coisa para ser explorada sobre o assunto de Au Pair.
Té mais.
Cidy